Acionistas da Galp votam distribuição de 318,2 milhões de euros em dividendos, a duas semanas de suspender a atividade na refinaria de Sines – SAPO

Para contestar a assembleia geral de acionistas da Galp, foi convocada a primeira manifestação artística de protesto em Portugal, com a participação de artistas de países onde a empresa planeia duplicar a exploração de petróleo e gás.

Os ativistas acusam a Galp de “extractivismo ambiental e social, de ser o principal ator na crise climática em Portugal, e também de uma nova forma de colonialismo ao explorar combustíveis fósseis nos países que anteriormente foram colonizados por Portugal”.

Ler a notícia completa aqui.

Deixe uma resposta

O seu endereço de email não será publicado. Campos obrigatórios marcados com *