Desmantelar a indústria petrolífera, agora!

A indústria petrolífera está entrelaçada com a política nacional e internacional:

As empresas petrolíferas gastam dezenas de milhões de euros por ano para actividades de lobbying em Bruxelas. Isto não conta com greenwashing – publicidade falsa para criar uma imagem verde – ou com lobbying nacional, nem com outro financiamento às entidades não-governamentais.

Todas são organicamente ligadas às instituições estatais e governamentais, como se conhece bem em Portugal com as portas giratórias da Galp e com o Galpgate.

O modelo de negócio da indústria petrolífera é centrada – aliás, obcecada – no lucro, que faz com que os direitos dos trabalhadores, as vidas das comunidades locais, ou o PLANETA INTEIRO não importem nas decisões.

A indústria petrolífera é a continuação do colonialismo no Sul Global, com uma responsabilização directa na militarização das zonas indígenas e na expulsão das comunidades locais.

Não há volta a dar. Temos de tratar a indústria petrolífera como a indústria de armas nucleares.

A indústria fóssil tem de cair.

A Galp tem de cair.

A única forma da Galp cair sem levar consigo os trabalhadores ou sem apagar a sua dívida ecológica às comunidades locais e aos ecossistemas que destruiu, é desmantelarmo-la duma forma deliberada, planeada e democrática.

Temos de desmantelar a Galp por todos os meios legais, económicos e políticos necessários.

Deixe uma resposta

O seu endereço de email não será publicado. Campos obrigatórios marcados com *